Translate

SEJA BEM VINDOS VISITANTES

contadores de visitas

domingo, 25 de dezembro de 2016

A ESCADA DE JACÓ - 4 passos para vitória!


Abra sua bíblia no livro do Gênesis, escrito pelo profeta Moisés, através da revelação divina do Espírito Santo de Deus. O texto que irá nos acompanhar nesta pregação foi escrito a aproximadamente 3.770 (2013) anos e desde então vem impactando multidões através da mensagem contida neste pequeno trecho. Por favor, vá até o capítulo 28 onde leremos dos versículos 10 até o 16. O texto diz: 10 Jacó partiu de Berseba e foi para Harã. 11Chegando a determinado lugar, parou para pernoitar, porque o sol já havia posto. Tomando uma das pedras dali, usou-a como travesseiro e deitou-se. 12 E teve um sonho no qual viu uma escada apoiada na terra; o seu topo alcançava os céus, e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. 13 Ao lado dele estava o Senhor, que lhe disse: “Eu sou o Senhor, o Deus de seu pai Abraão e o Deus de Isaque. Darei a você a seus descendentes a terra na qual você está deitado. 14 Seus descendentes serão como o pó da terra, e se espalharão para o Oeste e para o Leste, e para o Norte e para o Sul. Todos os povos serão abençoados por meio de você e da sua descendência. 15 Estou com você e cuidarei de você, aonde quer que vá; e eu o trarei de volta a esta terra. Não o deixarei enquanto não fizer o que prometi”. 16 Quando Jacó acordou do sono, disse: “Sem dúvida o Senhor está neste lugar, mas eu não sabia!”. 
Este texto nos leva a um momento muito complicado na vida de Jacó. Seu irmão Esaú está furioso com Jacó pelo fato deste ter-lhe tomado a benção de direito, com apoio de sua mãe Rebeca. Naquele momento Jacó estava fugindo para não morrer, pois de certo se seu irmão Esaú o encontrasse iria tirar sua vida.
Quantas vezes nossas decisões nos colocam na mesma condição de Jacó? Queremos fugir dos problemas, fugir das dificuldades, das lembranças amargas e tantas outras situações que podem nos levar à morte. Difícil não haver entre nós alguém cujo coração já não tenha tido o mesmo desejo: sumir do mapa! Há pessoas que não sobrevivem se não tirarem férias ao menos duas vezes por ano. Outras não sobrevivem se não puderem ir a um lugar de refugio, mesmo implicando em custos não suportados naquele momento, enfim: Todos nós em determinados momentos da nossa vida passamos pela mesma situação de Jacó, queremos fugir!
Deus porém tinha um propósito diferente na vida de Jacó. Não era o desejo de Deus ver Jacó amedrontado, triste e desiludido com aquela situação. Eu quero começar esta palavra dizendo o mesmo: Não é o desejo de Deus ver você triste, desiludido ou temeroso. Deus tem propósitos grandes na sua vida e eles vão se cumprir! Este texto em Gênesis 28possui uma série de códigos especiais para quem busca compreender a palavra de Deus de uma forma profunda e deseja utilizá-la como fonte de bênçãos e livramentos para a sua vida e a vida de sua família. 
Talvez, neste momento, você esteja perguntando: Como? Como enfrentar estas situações que se levantam no dia a dia, como vencer a barreira do desânimo e até mesmo do medo? Como fazer dos seus impedimentos uma ferramenta para nos direcionar para a vitória? A visão de Jacó foi uma escada com 4 degraus visíveis aos olhos do homem significando 4 passos que o homem deve dar em direção a vitória. Estes 4 passos abrangem diversos setores da vida humana dependendo da maneira e da área onde é preciso crescer. O que pregaremos a partir de agora é uma visão desta escada no sentido de dar a você todos os instrumentos para vencer as suas barreiras.


O primeiro passo: 
Saia do “olho do furacão”!

A palavra nos informa que Jacó “saiu” deBerseba e foi para Harã. O versículo tem uma linha apenas, mas estamos falando de uma distância aproximada de 700km entre uma cidade e outra. Hoje nós andamos esta distância muito rápido de carro ou de avião, porém naquela época, com carros de bois e mulas, não se andava a mais do que 4kms por hora. Com todas as paradas necessárias tranquilamente falamos de um percurso de 1 mês. Acredito sinceramente que um mês é tempo suficiente para desintoxicar o corpo e o cérebro. Enquanto você não sair de perto do problema o problema não vai sair de você.
Outro fator pouco percebido é que Berseba estava locali­za­da na Mesopotâmia.Para nossa informação a palavra deriva do prefixo “meso = meio” e do sufixo “pótamos = rios”, numa tradução li­vre poderíamos dizer “terra entre dois rios”, neste caso o Tigre e o Eufrates. Isto por si só apresenta Berseba como uma terra próspera, fértil e rica em água. Por outro lado Harã ou Padã-Harã, estava situada imagine onde? Os espirituais certamente acertaram: No 'deserto' do Negev. E os espirituais certamente já compreenderam. Sair do problema vai exigir um tempo de deserto na sua vida, mas não tenha medo do deserto porque é exatamente neste lugar onde Deus sempre nos dá vitórias grandiosas!


O segundo passo: 
Medite no meio do seu problema”.

O texto bíblico nos diz que Jacó “chegando a determinado lugar, parou para pernoitar, porque o sol já havia se posto”.Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelo ser humano na hora da adversidade é parar para descansar. Uma pessoa com problemas, em geral, gera um grande volume de expectativa e por causa disto se obriga a trabalhar exaustivamente sem pausas para descanso. Isto significa não almoçar, não jantar, e claro! Não dormir. Você pode achar perda de tempo dormir na hora da dificuldade, porém sem este tempo de descanso  o corpo e o cérebro não se recuperam das agressões sofridas ao longo do dia. Em outras palavras quando não se dorme ou dorme-se mal haverá ainda mais dificuldades para vencer seus problemas pois corpo e mente não estarão em ordem. O apóstolo João descreve no seu capítulo 11,versículo 9 o seguinte: Não há doze horas no dia? Se alguém andar de Dia não tropeça pois vê a luz deste mundo. 10 é quando anda de noite que tropeça pois não há luz. Seus problemas estão difíceis, sua vida não está fácil, dê um tempo para você mesmo, descanse no Senhor. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e Ele tudo fará!
O texto continua dizendo: ... “tomando uma das pedras dali, usou-a como travesseiro e deitou-se”. Este texto possui uma mensagem importante para nós. Jacó poderia ter deitado sua cabeça em qualquer outra coisa, poderia ter procurado plantas secas, usado peles de animais, até mesmo seu próprio alforge poderia ter sido utilizado como travesseiro. O Eterno porém o instruiu de uma forma diferente: Tomar uma pedra como travesseiro. Esta pedra representava para Jacó a dureza da situação pela qual estava passando e dormir sobre ela foi a forma encontrada por Deus para Jacó “meditar nos seus problemas”. Muitas pessoas querem simplesmente esque­cer os seus problemas, de preferência deixá-los longe dos seus pensamentos. Preste atenção, estar fisicamente longe do problema é bom, mas psicologicamente e espiritualmente você precisa meditar e guerrear para poder vencê-los. Neste caso o Senhor estimula Jacó a pegar o símbolo dos seus problemas, uma grande “pedra”, um empecilho, um peso, uma carga difícil de carregar e literalmente colocar a sua cabeça sobre ela ou seja, aproximar os seus pensamentos dos problemas para receber estratégias e resolvê-los. Deus está falando com você! Não fuja dos seus problemas medite neles e o Senhor vai lhe dar estratégias grandiosas para vencê-los.

O terceiro passo: 
Receba a instrução de Deus”.

versículo 12 diz: “E teve um Sonho...”.Muitas pessoas me procuram perguntando o significado dos seus sonhos. A minha resposta é sempre a mesma: Alguns dos nossos sonhos têm significados, outros simplesmente... não! Todos nós sonhamos, e sonhamos muito mais do que percebemos. Em geral temos vários sonhos durante a noite. Os sonhos são uma forma de reorganização da nossa estrutura sensorial e psicoló­gica. Por incrível que pareça até os nossos hormônios são esta­bi­li­zados por intermédio dos sonhos. Quando conseguimos descansar em meio aos nossos problemas também conseguimos dar esta oportunidade ao organismo para ele se auto-organizar. Até aqui estamos falando de uma função natural do sonho, porém para nós cristãos, o sonho é também uma porta.Quando falamos em sonhos naturais estes acontecem na fase REM do sono. Esta fase basicamente classifica o período quando estamos dormindo, porém com alguns sentimentos em estado de alerta. Logo depois do sono REM chegamos ao NREM. Este sim é um sono profundo, que de certa forma desliga o corpo do indivíduo colocando-o em um estado de semimorte. Este estado nos coloca muito próximos do mundo espiritual, de uma maneira muito mais tranquila do que quando estamos acordados. Durante o período de sono profundo (NREM) Deus trabalha reorganizando as nossas estruturas espirituais tal e qual como acontece na fase mais leve do nosso corpo em referência aos sonhos equilibrando  o nosso organismo. Evidentemente Deus fala conosco o tempo todo de forma abundante e inclusive quando estamos bem acordados, porém o estímulo em geral é reverso. Enquanto nós procuramos falar com Deus acordados, Deus de forma liberal trabalha sobre nós ao dormirmos. Aprenda com isto: Pessoas que não dormem bem perdem esta possibilidade. Dormir ouvindo rádio, com televisão ligada, fora de hora ou em lugares barulhentos impede este padrão “espiritual” de sono.  O cristão é um ser espiritual diferente. Os sonhos de nível semi consciente são apenas uma estratégia corpórea den­tro da nossa própria programação cognitiva para reorgani­zar as nossas estruturas físicas e psicológicas, porém Deus fala conos­co em outro nível e este nível só é atingido pelos espiri­tuais. Então vamos lá: Preocupação excessiva não é de Deus, tristeza excessiva não é de Deus, ansiedade em excesso também não. Todas estas coisas bloqueiam a sua capacidade de ter esta porta aberta para receber de Deus a instrução necessária para conduzir a sua vida espiritual. Se você tem passado sempre por estes sintomas é preciso orar a Deus e pedir uma solução.
Deus tinha um pacto com Jacó, pois havia uma benção especial sobre a vida dele e o Senhor de certo cumpriria o estabelecido. Deus tinha um ligação com Jacó. Deus tem uma ligação com você. Você é um escolhido(a) do Senhor e nada pode mudar esta história a não ser você mesmo.
Para os escolhidos Deus mostra coisas impossíveis de serem vistas por pessoas naturais. Perceba isto: Em pleno deserto do Negev, com uma pedra por travesseiro, longe da família e dos amigos, e correndo da morte o Eterno Deus mostra a Jacó uma visão até então jamais recebida por nenhum outro homem. Deus não se esquece dos seus filhos em meio a sua tribulação. Deus vai lhe dar visões hoje! Deus vai lhe mostrar caminhos especiais para direções as quais você nem sequer imaginou. Descanse no Senhor e receba a visão vinda direta do reino para solucionar todos os seus problemas e dificuldades.
versículo 12 do Gênesis continua nos agraciando com uma poderosa mensagem: ... “Eis que uma escada estava posta na terra, cujo topo chegava ao céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela”. De todas as visões encontradas na palavra de Deus por intermédio dos seus profetas até aquele momento, esta talvez seja uma das mais enigmáticas. No sono profundo de Jacó, Deus vai até ele e lhe mostra de forma gloriosa “a porta do céu”. A princípio pode parecer simples mas nem tanto. Conforme o texto tratava-se de uma escada “posta” na terra, ou seja muito bem fixada. O fato desta escada estar firmemente fixada na terra significa “compromisso” entre Deus e a terra, ou entre Deus e a sua criação. Deus tinha um grande compromisso com Jacó firmemente estabelecido com Ele. Deus tem um compromisso firme estabelecido com você tal e qual ele tinha com Jacó. Durante o sono profundo no qual Jacó estava Deus começou a renovar o seu compromisso com ele através de lembranças. Em outras palavras Deus estava reorganizando os sentimentos, o estado psicológico e espiritual de Jacó. Descanse no Senhor hoje e Deus vai renovar compromissos com você. Jacó no meio da sua preocupação poderia ter se esquecido do compromisso do Senhor com ele, e é normal em um tempo de tribulação nos acharmos excluídos ou abandonados. Agora veja a palavras de Deus para Jacó. PRIMEIRO – Jacó! Eu sou o Deus de seu pai Abrão e de Isaque. Em outras palavras: Jacó quem está falando não é qualquer um, Eu sou o Deus de Abraão e não o Deus dos Egípcios, eu sou o Deus de Isaque e não o Deus dos Edonitas (descendentes de Esaú). Você sabe como Eu abençoei a vida deles então acredite nas bençãos que posso trazer até você. SEGUNDO – Jacó! Seus descendentes serão como pó da Terra e se espalharão para o Oeste e para o Leste, para o Norte e para o Sul. Todos os povos da terra serão abençoados por você e por sua descendência. O que o Eterno estava dizendo: Jacó! Você está pensando que acabou? De forma alguma, nós estamos começando agora! Você terá muitos filhos e eles serão fontes de bênçãos nos quatro cantos da terra. Através deles grandes coisas vão acontecer! E não foi a toa que Jacó se tornou pai das 12 tribos de Israel: Ruben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Aser, Issacar, Zebulom, José e Benjamim. Quando você pensa estar no final da carreira, Deus só está começando o bom combate na sua vida! TERCEIRO – Estou com você e cuidarei de você onde quer que vá e eu o trarei de volta a esta terraOnde você estiver Deus estará cuidando de você. Se você está no monte, Deus olha por você, se está na caverna Deus olha por você! – QUARTO – Não o deixarei enquanto não fizer o que prometi. O Eterno Deus não brinca com seus escolhidos. Se Ele te prometeu uma vitória vai se cumprir na sua vida. Creia no poder de Deus, creia na sua vitória. Porque ela vai chegar na sua vida muito antes do que você imagina.
Ainda segundo o texto o “topo” desta escada tocava nos céus. Veja que o texto diz “nos céus” e não “no céu”. Isto significa que a escada não parava no primeiro nível, ela subia até o nível principal. Parece simples mas não é! Muitas pessoas quando passam por dificuldades procuram soluções de diversas maneiras diferen­tes. Uns preferem acreditar apenas em anjos, mesmo sendo eles apenas nossos servos, outros acreditam em “deuses”, mesmo sabendo que temos para nós o Deus verdadeiro, enfim. O que Deus estava falando com a escada era: Jacó a solução está em Mim, a solução sou Eu! Não adianta tentar outra coisa. Através do meu poder você será livre e por nenhuma outra maneira.
O texto também diz que anjos do Senhor “subiam e desciam por ela”. Atentando para o texto ele diz primeiro “subir” e só depois “descer”. Novamente Deus estava falando com Jacó. Estes anjos subindo eram seres alados, postos na terra para defender o povo de Deus. Ao subir, eles estavam levando todo o sofrimento existente na terra. Você não deve compreender esta escada como uma fantasia. Deus estava mostrando algo real para Jacó, aqueles anjos vistos por Jacó estavam levando embora as suas preocupações, as suas ansiedades, os seus medos, as suas dúvidas. Efésios 4.9 diz: ... “Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens”, enfim. Se você entrou aqui preocupado com os seus problemas, com a suas dívidas, descanse no Senhor. Neste momento operários do Senhor estão neste lugar levando consigo as suas preocupa­ções, os seus medos e a suas dúvidas. Não temas, descanse no Senhor porque Ele está com você! Na continuação da visão dada a Jacó Deus também mostrou a ele “anjos descendo”. Conforme o entendimento dos sábios, os anjos ao descerem voltavam de uma forma diferente de quando subiam. Isto se torna claro ao pensarmos na impossibilidade de ter contato com Deus sem ser renovado. Ninguém passa por este processo de contato com os céus, sem passar por um processo de renovação completa. O processo para subir esta escada de acesso ao céu não era simples. Para subir era necessário vencer desafios grandes. Os quatro degraus apresentados nesta escada não eram todos do mesmo tamanho ou altura. O primeiro era mais alto do que o segundo e assim sucessivamente tornando o início do trabalho muito difícil. Isto mostra que resolver problemas não é fácil, e em geral demanda muito tempo. Por outro lado estes seres angelicais iniciavam a sua escalada na forma antropomórfica, ou seja, forma humana, e iam se tornan­do alados ao longo do percurso. Em tudo isto, mesmo para eles seria impossível vencer o primeiro degrau se não fosse por uma palavra: Misericórdia! Para subir, somente assim: Pedindo misericórdia e recebendo misericórdia de Deus até atingirem o nível mais alto onde entravam na presença de Deus para entregar as nossas angústias e as nossas transgressões.
Na volta a situação era totalmente contrária. Ao entrarem na presença de Deus os próprios anjos eram renovados e a palavra de antes, misericórdia, se transformava em glória... glória e glória! E desta forma eles voltavam reenergizados, cheios de glória numa velocidade milhares de vezes superior a sua subida. Neste sentido Deus estava mostrando que depois de passar pelas provações o fluxo de bênçãos aconteceria num volume muito maior do que os problemas. Descanse no Senhor e você vai receber bênçãos muito superiores aos seus problemas! Isto significa “novidade de vida” e “vida renovada”. Ao mesmo tempo que seus problemas estão sendo levados a Deus, o Senhor está derramando sobre você poder, unção e capacidade em um volume muito maior para resolvê-los.  

O quarto passo: 
Aprenda a ver Deus na dificuldade”.

O versículo 16 revela-nos o quarto e último passo da esca­da de Jacó. Conforme lemos está escrito: “Despertando Jacó do seu sono...”. Este despertar não  se refere a acordar de um sono comum apenas. Depois de receber a visão e a instrução Deus imediatamente “desperta” os olhos e os ouvidos espirituais de Jacó. Não adianta achar que os seus problemas vão se resolver apenas dormindo, também é preciso despertar, e despertar de forma espiritual para ver além da capacidade dos incrédulos.Efésios 5.14 diz: ... “Desperta, ó tudo que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará, 15 portanto vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios. No meio da sua dificuldade é preciso acordar para as coisas espirituais. Não desanime, não durma no ponto. Acorde e veja! O poder de Deus é milhões de vezes superior ao poder do inimigo.
Ao acordar do sono Jacó diz algo tremendo: “Sem dúvida, Deus está neste lugar, mas eu não sabia”. Você lembra onde Jacó estava? Sim! No deserto. Você lembra o que Jacó estava fazendo? Sim! Fugindo da morte! Você lembra como Jacó estava? Sim! Amedrontado, preocupado e ansioso, mas mesmo assim o Senhor estava com ele o tempo todo! Ele apenas não tinha percebido isto antes.  Deus sempre está com você no meio das suas adversidades. Acorde agora! É Hora de clamar ao Senhor e operar através da revelação da sua palavra.
Jacó poderia ter se esquecido da benção de Seu pai sobre Ele, mas Deus jamais se esquece da benção derramada sobre você. Nós descendemos de Jacó, e a promessa lançada sobre ele também está sobre nós.

Quatro degraus, quatro bênçãos sobre a sua vida! Primeiro – Genesis 27.28 – Que Deus lhe conceda do céu o orvalho e da terra a riqueza... Segundo  – Que as nações o sirvam e os povos se curvem diante de você... Terceiro – Malditos sejam os que te amaldiçoarem. Quatro -  e benditos sejam os que te abençoarem!

Louve a Deus nesta noite pois Ele está te acordando para uma nova vida! Suba os degraus da vitória e receba bênçãos incontáveis!

A pequena túnica de Samuel



1ª Samuel 2.18.20 – Samuel, contudo, ainda menino, ministrava perante o Senhor, vestindo uma túnica de linho.19 Todos os anos sua mãe fazia uma pequena túnica e a levava para ele, quando subia a Siló com o marido para oferecer sacrifício anual. 20 Eli abençoava Elcana e sua mulher, dizendo: “O Senhor dê a você filhos desta mulher no lugar daquele por quem ela pediu e dedicou ao Senhor”. Então voltavam para casa.

A história de fé de Ana e seu filho Samuel certamente é uma das mais utilizadas entre os professores para ensinar jovens e crianças. Ao longo de milhares de anos o exemplo de Ana, que não podia ter filhos e o resultado da sua fé e obstinação diante de Deus se tornara um marco na história bíblica do antigo testamento.
Biblicamente filhos representam sonhos e  anunciação. Ana tinha um sonho, e eu creio que este possa ser um sonho compartilhado com muitas pessoas até os dias de hoje. Ela sonhava ter um filho de seu Esposo Elcana. Ambos, conheciam a Deus e cumpriam com suas obrigações diante dele. Todos os anos Elcana, subia a cidade de Siló, onde repousava o tabernáculo e a arca do Senhor, e em uma dessas vezes Ana resolveu dar um basta no seu sofrimento. Ana queria a realização dos seus sonhos e para isto ela teria de vencer barreiras.
Eu quero convidá-lo a quebrar barreiras nesta noite!
O que Ana e seu esposo Elcana estavam fazendo era o mesmo que nós nos dias de hoje. Hoje nós saímos de nossas casas, partimos em direção a nossa Siló que é o templo do Senhor, oramos, louvamos e ofertamos ao Senhor na certeza de que ele ouvirá as nossas orações e os nossos clamores.Quantas vezes você já fez isto? Eu quero profetizar na sua vida que esta é a noite em que o senhor ouvirá as tuas preces e atenderá os teus clamores!
No versículo 11 de 1ª Samuel ela disse: – “Ó Senhor dos Exércitos, se tu deres atenção à humilhação de tua serva, te lembrares de mim e não te esqueceres de tua serva, mas lhe deres um filho, então eu o dedicarei ao Senhor por todos os dias de sua vida, e o seu cabelo e  sua barba nunca serão cortados
Deus ouve a oração de Ana, e atende o seu pedido e realiza o seu sonho. Agora ela é mãe de um jovem muito bonito, esperto, brincalhão, capaz de chamar atenção desde muito cedo pela sua destreza e também pela grande facilidade de comunicação. Como é maravilhoso ter a suas orações atendidas. Como é bom perceber que o Senhor ouviu o nosso pranto o nosso clamor e atendeu o nosso pedido assim como está em Salmos 18.6 – Na angústia invoquei o Senhor e clamei ao meu Deus, desde o templo ouviu a minha voz, aos meus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.
Quantos aqui gostariam de passar pelo que Ana passou?
Quantos gostariam de receber a vitória na sua plenitude?
Deus cumpre a sua promessa. Em salmos 119.38 – Ele diz: Ele cumprirá o desejo dos que o temem, ouvirá o seu clamor e os salvará. Pode demorar, mas se você tem temor a Deus, o seu dia vai chegar, o seu sonho vai se cumprir. Não tenha dúvidas disto! Mas o que adianta ter o sonho realizado e não honrar este sonho, de que adianta receber uma benção de Deus e não utilizar esta benção em nome de Deus.

versículo 19 de 1ª Samuel 2 nos diz algo importante: Todos os anos sua mãe fazia uma pequena túnica e a levava para ele, quando subia a Siló com o marido para oferecer sacrifício anual.
Ana havia entregue seu filho, assim que fora desmamado para servir ao Senhor. Uma vez, por ano ela subia a Siló e levava consigo, além de todas as outras coisas naturais de uma mãe. Uma pequena túnica para seu filho.
Samuel foi entregue como presente para Deus, e a túnica era a embalagem do presente. Me deixe fazer uma pergunta:Que túnica você tem vestido nos seus sonhos? Com que embalagem você tem envolvido os presentes que Deus tem dado a você e sua família?
Amados Deus não nos dá qualquer presente, e nós não podemos tratar os presentes de Deus de qualquer forma.
Vamos ver algumas características da túnica de Samuel.
A túnica era de linho fino! – Linho fino significa Justiça!
Apocalipse 7.14 - ... “Os que vieram da grande tribulação lavaram suas vestes e as alvejaram no sangue do cordeiro”.

A túnica era para sacerdotes e filhos de sacerdotes! 
Seu filho pertence a Jesus, seus sonhos pertencem a Jesus!
Você é filho do altíssimo e seus sonhos pertencem a ele!
João 3.35 - ... “O pai ama o Filho e entregou tudo em suas mãos, 36. Quem crê no filho tem a vida eterna, já quem rejeita o filho, vão verá a vida, mas a ira de Deus permanecerá sobre ele”.

A túnica era para o filho escolhido!
O Pai te escolheu! Gênesis 37.3 – Jacó faz para seu filho José uma túnica longa, porque era seu filho predileto, pois havia nascido em sua velhice....”

Era difícil e caro fazer uma túnica.
A túnica era toda bordada, demora em média 8 meses para produzir uma, por outro lado, o linho, era um produto raro e também muito caro. Salmo 40.1 – Esperei com paciência no senhor, e ele ouviu o meu clamor e ouviu meu grito de socorro. Ana passava o ano inteiro esperando para levar a túnica para Samuel, e Samuel esperava pela túnica. Mantenha as suas expectativas no Senhor e Ele vai manter os seus olhos sempre voltados para você!  É preciso dar a Deus o nosso sacrifício. Em 2ª. Samuel 24.18 – Quando o profeta Gade diz a Davi para fazer uma altar da Eira de Arauna, ele ofereceu a Davi tudo que estava em suas posses. Mas Davi disse: “Não oferecerei ao senhor holocaustos que não me custem nada” – E pagou 50 peças de prata pela eira e pelos bois e só depois disto fez sacrifícios aos senhor!

Para muitos é difícil compreender estas coisas. Mas isto acontece porque queremos receber presentes de Deus numa embalagem bonita e sem custo nenhum. O evangelho tem custos! A benção tem custos e você precisa arcar com essas consequências.

Antes da túnica de Samuel, Ana precisou ela mesma vestir algumas túnicas. Você precisa compreender isto para poder receber a túnica da vitória!

Ana vestiu a túnica da HUMILHAÇÃO!
Ela era estéril e Penina, a outra esposa de Elcana, constantemente a humilhava! Mas esterlidade não é sinal de pobreza! Sara, Raquel e Rebeca também eram estéreis e todas elas foram grandemente abençoadas!  Elas foram geraram toda a nação israelita: Sara Deus a luz a Isaque com 90 anos, Rebeca deu a luz a Jacó, Raquel deu a luz a José. E você será o pai de multidões em nome de Jesus!

Ana vestiu a túnica da DÚVIDA
Aquela não foi a primeira vez que Ana orou, nem a primeira vez que chorou pela falta de um filho. Talvez não seja a primeira vez que você ora por alguma coisa.
Ana vestiu a túnica da INCOMPREENSÃO FAMILIAR
1ª. Samuel 1.8 – Ana, por que você está chorando? Por que você não come? Por que você está triste? Será que eu não sou melhor para você do que dez filhos?

Ana vestiu a túnica da incompreensão RELIGIOSA
1ª. Samuel 1.12 – Enquanto ela continuava a orar diante do Senhor, Eli observava sua boca... Eli pensou que ela estivesse embriagada e lhe disse: Até quando você continuará embriagada? Abandone o vinho!

A túnica que você não deve vestir
Ana vestiu a túnica do SERÁ...
SERÁ QUE EU DEVO MESMO FAZER ISTO?
1ª. Samuel 1.21 – Quando no ano seguinte Elcana subiu com toda a família para oferecer sacrifício anual ao Senhor e para cumprir o seu voto! 22 Ana não foi e disse ao seu marido: “Depois que o menino for desmamado, eu o levarei e o apresentarei ao Senhor, e ele morará ali para sempre”.23 Disse Elcana, seu marido: “Faça o que lhe parecer melhor. Fique aqui até desmamá-lo; que o Senhor apenas confirme a palavra dele! (Elcana saiu nervoso...)

Se Deus está chamando você obedeça, se você tem um voto a cumprir, cumpra logo. Há pouco tempo, e nós precisamos nos adiantar. O atraso de ano fez com que Eli se esquecesse dela. 1ª. Samuel 1.26 – Meu senhor, juro por tua vida que eu sou a mulher que esteve aqui a teu lado, orando ao Senhor.
O que acontece quando embalamos corretamente os nossos sonhos!

O jovem Samuel crescia em graça e conhecimento da palavra de Deus. Sua mãe continuava a visitá-lo e trazer suas túnicas pra ele, porém eu vou finalizar esta ministração com os resultados na vida de SAMUEL, não o resultado físico, mas o resultado espiritual.

Samuel entrou para a escolas de profetas, aquela mesma para a qual pediram a Ezequiel que fosse um professor, a mesmo padrão da escola de Malco, o aprendiz do sacerdote quando capturaram Jesus. Aos auxiliares dos sacerdotes eram dados serviços simples, limpeza, arrumação, e ficavam voltados a maior parte do tempo para o estudo da palavra. Porém com Samuel era diferente.

1ª. Samuel 3.1- O menino Samuel ministrava perante o Senhor, sob a direção de Eli;
SAMUEL ministrava perante o altar do Senhor a palavra de Deus com autoridade e conhecimento!
...naqueles dias raramente o Senhor falava, e as visões não eram frequentes. Porém está escrito: Está escrito: “Os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão e os vossos velhos terão visões...

Samuel via e ouvia e sentia e presença de Deus!
2 Certa noite, Eli, cujos olhos estavam ficando tão fracos que já não conseguia mais enxergar, estava deitado em seu lugar de costume.
Eli além de ser sacerdote também foi juiz de Israel por 40 anos. Já estava cansado, e preferia ficar longe das coisas de Deus. Porém Ana, havia profetizado na vida de Samuel, quando ela o entregou a Eli, entregou também um novilho (novo) e um odre com vinho (novo). Samuel estava forte e pronto para a batalha.
3 A Lâmpada de Deus ainda não havia se apagado, e Samuel estava deitado no santuário do Senhor onde se encontrava a arca de Deus.
Nada na bíblia está escrito por acaso. Veja Eli, deitado no seu lugar de costume. Um belo quarto em uma das disposições do santuário. Já Samuel, estava deitando no santuário do Senhor. Hoje tem muitos jovens deitados nas calçadas, nos bares, nas boates. Tem muitos homens e mulheres de Deus, largados nos sofás espirituais da vida, porém Eli estava deitado no altar do Senhor.
Se prestarmos atenção agora, vamos notar algo fantástico da parte de Deus: A “Lâmpada” de Deus a qual se refere o versículo é o Candelabro de Ouro do Senhor, este candelabro ficava dentro no lugar santíssimo chamado Santo dos Santos, onde só o Sacerdote poderia entrar, conforme aprendemos em êxodo 28, e 29 e também no Levíticos.
Mas Samuel ainda não era sacerdote, o que ele estava fazendo lá.
ESPERANDO A CONFIRMAÇÃO DA PALAVRA!
O melhor lugar para esperar a vinda do Senhor é na presença do Espírito Santo! O melhor lugar para estar é na sombra do onipotente. O tabernáculo de Deus, está codificado noSalmo 91 e representa proteção divina.
Aquele que habita – Pórtico.
No esconderijo do altíssimo – Tabernáculo.
À sombra do onipontente – Véu
Do onipotente descansará – Candelabro
Direi ao Senhor: “Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza” –Santo dos Santos,

Uma das funções do sacerdote era manter o candelabro aceso e 2 vezes por dia o sacerdote enchia os braços do candelabro com Azeite e trocava o pavio, para que a chama nunca se apagasse.

Se você compreender o poder desta mensagem, Deus vai falar com você e você terá vitórias sobre vitórias

Samuel dormia de frente para o candelabro! Samuel não saia da presença do espírito santo de Deus.
Hoje não temos mais o candelabro, mas o mesmo fogo que estava naquele lugar, está aqui hoje para honra e glória do Senhor, e eu posso dizer que o candelabro também!
O candelabro era uma peça única de ouro batido, composta de uma base, uma haste central e seis braços laterais
OURO BATIDO – Não tenha medo de apanhar
BASE – Uma construção sem base não pode ser sólida
Hebreus 11.10 – Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice é Deus!  Canticos 7.1 – Quão formosos são os teus pés nos sapatos, ó filha do príncipe! O contornos das suas coxas são como joias trabalhadas na mão de artista.
HASTE CENTRAL – O Evangelho de Cristo
BRAÇOS LATERAIS – Primeiro eram entortados para baixo na mesa do artesão, e depois colocados para cima na haste do candelabro! Depois tinha que por azeite, e não podia ser qualquer um, logo depois o pavio, e depois o fogo!
GLORIFIQUE AO SENHOR JESUS!
Nele, por ele e para Ele!

terça-feira, 25 de outubro de 2016

HOMEM SOBREVIVEU MAIS DE 24 HORAS DENTRO DE UMA BALEIA


O fato aconteceu no mês de fevereiro de 1891*, perto das Ilhas Falkland. O baleeiro 'Star of the East' circulava próximo às referidas Ilhas, quando o vigia viu uma baleia grande a 4 Km de distância.

Capturada a baleia, após a perda de um dos escaleres e após o desaparecimento de um dos tripulantes, cujo nome era James Bertley, a tripulação restante, armada de machados e de pás começaram o trabalho de abertura e remoção da gordura.

Decorrido um dia inteiro de serviço, e parte do período noturno, abandonaram temporariamente a tarefa, deixando o serviço remanescente para o novo dia que se avizinhava.

Chegado o dia seguinte, ergueram a baleia em ganchos e a levaram para o convés. Quando os marinheiros olharam para o interior da baleia (meio aberta) constataram que havia um objeto semelhante a um ser humano. O nome dele: James Bertley.

Isso mesmo. Era o marinheiro que havia desaparecido por ocasião da captura da baleia e do naufrágio de um dos escaleres.

Os marinheiros notaram então que o 'alimento' estava desmaiado e encolhido. Retirado do estranho local, foram realizados os cuidados para que tentassem reaver a saúde do sr. James Bertley.

Êxito na empreitada. O tripulante que fora engolido pela baleia teve as suas forças recompostas, bem como a lucidez.

Seu rosto, pescoço e suas mãos tinham sido alvejados até ficarem com um branco doentio. Quando perguntado, Bertley afirmou que provavelmente continuaria a viver dentro daquele ambiente sombrio até morrer de fome, porque seu desmaio foi causado por medo e não por falta de ar.

Prova científica:

O fato fora constatado após meticulosa investigação científica de dois cientistas, um de nome M. de Parville, redator científico do Journal des Debats, de Paris.
______

*Há mais dois casos semelhantes, um ocorrido no ano 1758 e o outro em 1771, quando os homens engolidos foram vomitados pelas baleias comilonas, algum depois.

BAHIA SERA IMPACTADA POR DEUS

Informação e Convite E-mail genisvaldosantos@live.com ou Whatsap 62 994 172 175


Goiania


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

QUEM É O POVO DE DEUS?



"Mas vós sois...a geração eleita...".
I Pedro 2.9.
Nesses dias tão conturbados, onde estamos vivendo tempos angustiosos de incredulidade, e que os homens tem se ajuntado como povo de Deus em várias denominações. Dias em que os ditos cristãos têm comichões nos ouvidos para ouvir coisas agradáveis, e por isso tem ajuntado para si mestres segundo os seus desejos (II Timóteo 4.3-4). Dias de apostasia da fé onde o ensino de demônios tem espalhado como gangrena, mas que não é novidade porque estão previstas pela Palavra. Diante de tudo isto, perguntamos: - Quem é o povo de Deus?
Jesus disse em Mateus 11.12: "E desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto". Tomar o reino dos céus de assalto é um absurdo, mas muitos tentam fazê-lo, achando que simplesmente dizer para Jesus: Senhor, Senhor, ou aceitá-lo como seu salvador, e participar de uma denominação, ou mesmo fazer milagres no seu nome é suficiente. Sobre isto Jesus diz: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade" Mateus 7.21-23.
Ninguém toma o reino dos céus de assalto, porque isso não depende da força do homem, nem da sua capacidade, mas do poder de um Deus Soberano: "Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor. Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece. Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer. Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição; para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou, os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios?" Romanos 9.11-24.
O povo de Deus é uma geração eleita. Podemos ser membro de qualquer igreja, mas ninguém pode intitular-se um membro do povo de Deus se não for um eleito, porque a nossa eleição é de Deus: "Sabendo, amados irmãos, que a vossa eleição é de Deus" I Tessalonicenses 1.4. Essa eleição, ou escolha de Deus é para um propósito bendito, separar um povo santo e irrepreensível, que viva diante dEle: "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade" Efésios 1.4.
Deus escolheu a princípio a nação de Israel, para anunciar as suas grandezas em toda a terra: "Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra. O SENHOR não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos. Mas, porque o SENHOR vos amava..." Deuteronômio 7.6-8. A nação de Israel desprezou esse chamamento de Deus. Hoje, nós os que cremos, somos o Israel de Deus. Somos a sua geração eleita, para que anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz: "Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus" Romanos 2.28-29.
Este anuncio do evangelho é feito com o propósito de promover a fé, e de congregar os seus eleitos: "Paulo, servo de Deus, e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus, e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade, em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos; mas a seu tempo manifestou a sua palavra pela pregação que me foi confiada segundo o mandamento de Deus, nosso Salvador" Tito 1.1-3. "E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna" Atos 13.48.
"Mas vós sois...o sacerdócio real..."
O povo de Deus não é formado de simples membros de igrejas, mas de sacerdotes reais. Qualquer pessoa pode ser feito membro de uma denominação, uma espectadora, mas jamais se intitular um sacerdote real. Somente os membros da Universal Assembléia o são: "Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos; à universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados" Hebreus 12.22-23.
Na genealogia de Jesus, apresentada em Mateus 01 do verso 01 a 17, mostra no verso 17 que desde a deportação da Babilônia até o Cristo são quatorze gerações: "De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para a Babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para a Babilônia até Cristo, catorze gerações". Se contarmos a partir da deportação da Babilônia, você encontrará treze gerações e não catorze como diz o texto. Será que o Espírito Santo quando inspirou Mateus errou?
O verso 16 nos ensina que Ele nunca erra: "E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo". Jesus é a décima terceira geração e Jesus o Cristo a décima quarta. Jesus naquela cruz se tornou o último Adão, porque fomos incluídos no seu corpo naquela cruz. Quando Deus deu vida a Jesus na ressurreição, lhe deu um nome que está acima de todo nome: Jesus Cristo. Deus em sua misericórdia nos deu vida juntamente com Ele (Efésios 1.4-5). Jesus se tornou o primogênito dessa nova geração, uma geração eleita por Deus. Nós fomos feitos filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição: "Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição" Lucas 20.36.
Como Jesus Cristo é Sacerdote e Rei, nós que fomos feitos à Sua imagem (Romanos 8.29), somos agora em Cristo, sacerdotes reais, a fim de ministrarmos as coisas espirituais a Deus: "Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" I Pedro 2.5. "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito" Efésios 2.20-22.
Deus em Malaquias 2.7 nos mostra o perfil do sacerdote: "Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos". Qualquer homem pode ser tomado pelo povo como sacerdote para ministrar as coisas concernentes aos homens (Hebreus 5.1-3), mas um sacerdote real, que ministra sacrifícios espirituais a Deus, só é possível ser aceito por Deus, se estiver em Cristo: "Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre" Hebreus 13.21.
Na figura do tabernáculo, somente o sacerdote podia entrar no santo lugar e ministrar no altar. Agora, como sacerdotes reais, e no verdadeiro tabernáculo, não feito por mãos humanas; o seu povo ministra o verdadeiro altar: "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo. Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial. E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério" Hebreus 13.10-13.
Ninguém está apto para oferecer tais sacrifícios a Deus, somente o seu povo, os seus sacerdotes reais. Esse ministério é o sacerdócio de Cristo, que não tem princípio nem fim, e é segundo a Ordem de Melquisedeque (Hebreus 6 e 7). Nesse sacerdócio não se pode entrar por aclamação, nem fazendo um seminário, somente por escolha do Senhor: "Pois quê? O que Israel buscava não o alcançou; mas os eleitos o alcançaram, e os outros foram endurecidos. Como está escrito: Deus lhes deu espírito de profundo sono, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até ao dia de hoje" Romanos 11.7-8.
Portanto, somente um homem ou mulher, judeu ou grego, escravo ou livre que morreu e ressuscitou juntamente com Cristo, portanto, está em Cristo, é um sacerdote real. Deus nos fez seus sacerdotes reais, para que lhe ministremos as coisas espirituais e anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.
"Mas vós sois...a nação santa..."
O povo de Deus não são aqueles que tomam o nome de cristãos e colocam um nome em suas igrejas. Nem são aqueles que têm uma aparência de piedade. E muito menos uma congregação de pecadores. O povo de Deus é uma nação santa. Tudo o resto é chamado por Deus de Casa de salteadores: "Eis que vós confiais em palavras falsas, que para nada vos aproveitam. Porventura furtareis, e matareis, e adulterareis, e jurareis falsamente, e queimareis incenso a Baal, e andareis após outros deuses que não conhecestes, e então vireis, e vos poreis diante de mim nesta casa, que se chama pelo meu nome, e direis: Fomos libertados para fazermos todas estas abominações? É pois esta casa, que se chama pelo meu nome, uma caverna de salteadores aos vossos olhos? Eis que eu, eu mesmo, vi isto, diz o SENHOR" Jeremias 7.8-11.
Ser santo não é ser extraordinário, ou perfeito. Ser santo é ser separado por Deus para viver para Ele e crescer nessa separação, até que estejamos inteiramente separados no corpo, na alma e no espírito: "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará" I Tessalonicenses 4.23-24. "Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda" Apocalipse 22.11.
Deus não queria apenas indivíduos santos, mas uma nação que fosse santa. Para isso a princípio, chamou a nação de Israel quando disse: "Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha. E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel" Êxodo 19.5-6; mas eles invalidaram esse pacto. Deus queria que esse povo fosse santo, separado por Deus para ser exclusivamente seu: "E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo, e vos separei dos povos, para serdes meus" Levítico 20.26.
Como vimos anteriormente, nós os que cremos, somos o Israel de Deus, a sua nação santa, um povo separado por Deus para que vivamos para Ele. Antes éramos pecadores e inimigos de Deus: "A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más..." Colossenses 1.21, mas Ele nos reconciliou consigo mesmo, e nos santificou pela oferta do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez para sempre (Hebreus 10.10), para nos apresentamos perante Ele santos: "...agora contudo vos reconciliou. No corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis" Colossenses 1.21.
Ele fez morrer a nós pecadores no corpo de Cristo e nos justificou (Romanos 6.7), e nos santificou para Ele: "Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus" Romanos 7.4. Ser feito um santo e ser santificado é obra exclusiva de um Deus Santo (I Pedro 1.16 e Levítico 20.8). Ele é o Deus que nos santificou em Cristo, e agora nos santifica para que vivamos totalmente para Ele: "Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" II Coríntios 5.14-15.
Rejeitar isso não é rejeitar ao homem, mas a Deus que nos deu o Espírito Santo: "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; ...Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo" I Tessalonicenses 4.3-8.
Somos a sua nação santa, um povo totalmente separado para Ele, para que anunciemos as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.
"Mas vós sois...o povo adquirido..."
O seu povo não é formado de pessoas que simplesmente por um ato de desespero aceitou a Jesus. Nem mesmo porque foi batizado nas águas. Muito menos porque tem um título de pastor ou líder religioso. O povo de Deus é um povo comprado e lavado com o seu sangue: "Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas" Apocalipse 22.14.
Nós não éramos de Deus, porque quem comete o pecado é do Diabo (I João 3.8). Estávamos sob o império da morte, mas Jesus veio nos tirar desse império: "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão" Hebreus 2.14-15. "Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz; o qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" Colossenses 1.12-13.
Estávamos sob o império da morte e éramos escravos do pecado: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado" João 8.34. "Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?" Romanos 6.16. Éramos escravos do pecado, estávamos mortos e éramos por natureza filhos da ira: "E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também" Efésios 2.1-3.
Estávamos mortos em delitos e pecados; estávamos sob o império da morte e éramos escravos do pecado, mas Jesus nos adquiriu, nos comprou para Deus com o seu sangue: "E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação" Apocalipse 5.9. Fomos comprados para Deus e agora somos dEle; um povo adquirido por um grande preço, pelo sangue de Jesus: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" I Pedro 1.18-19.
Nós somos o povo adquirido para glorificá-lo: "Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" I Coríntios 6.20. Somos dEle, somente dEle, e nunca mais para sermos escravos de ninguém: "Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo. Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens" I Coríntios 7.22.23. Cristo nos libertou, não necessitamos mais ficar escravos da religião e de homens: "Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão" Gálatas 5.1.
Somos um povo adquirido, um povo seu, especial, remido de toda a iniqüidade, zeloso de boas obras, e para publicar o seu louvor: "O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras" Tito 2.14. "...esse povo que formei para mim, para que publicasse o meu louvor" Isaías 43.21. Somos o seu povo adquirido, para anunciar as grandezas daquele que nos tirou das trevas para a sua maravilhosa luz. Nós, que em outro tempo não éramos povo, mas agora somos povo de Deus; que não tínhamos alcançado misericórdia, mas agora alcançamos misericórdia.
"...para anunciar as grandezas,
daquele que nos tirou das trevas
para a sua maravilhosa luz".
I Pedro 2.9.
O povo de Deus não necessita de um templo, nem de um nome, nem de um pastor para anunciar o evangelho. O povo de Deus é luz onde estiver. Cada membro desse povo pode manifestar as suas obras de fé em qualquer lugar: seja no trabalho, em casa, numa fila de banco e etc. Jesus não disse vinde a igreja para ouvir o evangelho, mas "Ide e pregai o evangelho a toda criatura". Onde um filho de Deus adquirido, santo, sacerdote real estiver, ele se torna um anunciador das boas novas: "LEVANTA-TE, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti; porque eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o SENHOR virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti" Isaías 60.1-2.
Davi no Salmo 62, no verso 11 disse pelo Espírito: "Uma vez falou Deus, duas vezes tenho ouvido isto; que o poder pertence a Deus. A ti também, Senhor, pertence a benignidade...". Nós nascemos numa geração corrupta e perversa como disse Jesus, e precisávamos ser salvos dela (Mateus 16.4 e Atos 2.40). Deus pelo seu poder, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (I Pedro 1.3). Uma geração escolhida por Deus; eleição essa que foi feita antes da fundação do mundo (Efésios 1.4).
Deus nos elegeu, nos chamou, nos justificou e nos glorificou em Cristo: "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou" Romanos 8.28-30.
Pelo seu poder, Ele nos tirou dum charco de lodo, dum poço de perdição e colocou os nossos pés na rocha, na rocha eterna (Salmos 40.2); Ele nos colocou nos lugares celestiais em Cristo: "Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus" Efésios 2.5-6. Ele nos fez sacerdotes reais, sacerdotes chamados para ministrar na Sua Presença, no santíssimo lugar: "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu" Hebreus 10.19-23.
Pelo seu poder nos incluiu em Cristo, nós os imundos e pecadores. Justificou-nos pela morte, e nos gerou como Seus filhos, quando ressuscitou a Jesus e o declarou Filho de Deus em poder (Romanos 1.4), porque Ele é o autor na nossa salvação (Hebreus 2.10). Somos agora uma nação santa, um povo seu. Ele que é poderoso, nos fez santos e agora nos apresenta ante a Sua Glória sem mácula, sem mancha, incontaminado e com grande alegria: "Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos ante a sua glória imaculados e jubilosos..." Judas 1.24.
Pelo seu poder Ele nos comprou para Ele, nos adquiriu a preço de sangue, um sangue precioso: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós; e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus" I Pedro 1.18-21.
Se você crê no seu nome, e goza desse poder grandioso. Crê que morreu e ressuscitou juntamente com Ele naquela cruz, portanto, Cristo é a Sua Vida. Se você crê que seu escrito de dívida foi riscado e cravado na cruz. Se ele te fez membro dessa geração eleita, e de uma nação santa. Te fez um sacerdote real, e agora você vive inteiramente para Ele, e não mais como escravo do pecado, não se preocupe com genealogias intermináveis, com fábulas, com doutrinas várias e estranhas. Isto nunca trouxe proveito algum aos que com eles se envolveram (Hebreus 13.7).
Antes cresça na graça e no conhecimento de Jesus Cristo que é a Sua Vida, e anuncie com grande alegria essas grandezas, fale desse Deus grandioso; dê o testemunho daquele que te tirou das trevas para a sua maravilhosa luz, e proclame em alta voz: "Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém" Judas 1.25.
A Palavra da cruz é loucura para os que perecem, mas para nós que somos salvos é o poder de Deus. Essa Palavra nos salvou e ela é o testemunho de Deus. Deus deu a nós, seu povo, a graça de anunciar o seu evangelho. Somente aqueles que nasceram do Espírito tem autoridade para fazê-lo: "E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado" I Coríntios 2.1-2. O tempo do apóstolo Paulo já encerrou. Agora é o nosso tempo de anunciar, daqueles que são testemunhas dessas coisas.
Mediante tudo isto, exaltemos juntos ao nosso Deus com a Sua Palavra que diz: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém" Romanos 11.33-36.
Retornar

O que a biblia diz sobre Sucidio


A Bíblia menciona seis pessoas específicas que cometeram suicídio: Abimeleque (Juízes 9:54), Saul (1 Samuel 31:4), o escudeiro de Saul (1 Samuel 31:4-6), Aitofel (2 Samuel 17:23), Zinri (1 Reis 16:18) e Judas (Mateus 27:5). Cinco deles eram homens pecadores e perversos (não se sabe o suficiente sobre o escudeiro de Saul para fazer um julgamento a respeito de seu caráter). Alguns consideram Sansão um exemplo de suicídio (Juízes 16:26-31), mas o seu objetivo era matar os filisteus e não a si mesmo. A Bíblia enxerga o suicídio da mesma forma que assassinato, pois isso é exatamente o que é - auto-assassinato. Cabe a Deus decidir quando e como uma pessoa deva morrer.
De acordo com a Bíblia, o suicídio não é o que determina se uma pessoa ganha ou não acesso ao céu. Se um descrente cometer suicídio, ele não fez nada mais do que “acelerar” a sua jornada para o lago de fogo. Entretanto, no fim das contas, a pessoa que cometeu suicídio estará no inferno por ter rejeitado a salvação através de Cristo, não por ter cometido suicídio. O que a Bíblia diz sobre um cristão que comete suicídio? A Bíblia ensina que podemos ter a garantia da vida eterna a partir do momento em que verdadeiramente crermos em Cristo (João 3:16). Segundo a Bíblia, os cristãos podem saber que possuem a vida eterna sem qualquer dúvida (1 João 5:13). Nada pode separar um cristão do amor de Deus (Romanos 8:38-39). Se nenhuma "criatura" pode separar um cristão do amor de Deus, e até mesmo um cristão que comete suicídio é uma "coisa criada", então nem mesmo o suicídio pode separar um cristão do amor de Deus. Jesus morreu por todos os nossos pecados e se um cristão verdadeiro, em um momento de crise e fraqueza espiritual, cometer suicídio, esse pecado ainda seria coberto pelo sangue de Cristo.
O suicídio ainda é um grave pecado contra Deus. Segundo a Bíblia, o suicídio é assassinato; é sempre errado. Deve-se ter sérias dúvidas sobre a autenticidade da fé de qualquer pessoa que afirmava ser um cristão, mas mesmo assim cometeu suicídio. Não há nenhuma circunstância que possa justificar que alguém, especialmente um cristão, tire a sua vida própria. Os cristãos são chamados a viver suas vidas para Deus e a decisão de quando morrer pertence a Deus e somente a Ele. Embora não esteja descrevendo o suicídio, 1 Coríntios 3:15 é provavelmente uma boa descrição do que acontece com um Cristão que comete suicídio. "Se o que alguém construiu se queimar, esse sofrerá prejuízo; contudo, será salvo como alguém que escapa através d

Quarenta livros que fizeram a cabeça dos evangélicos brasileiros nos últimos quarenta anos


Ricardo Quadros Gouvêa

Toda lista é pessoal, e esta não é uma exceção, mas busquei seguir aqui critérios objetivos: livros que foram campeões de vendagem, citados e debatidos, que influenciaram e continuam influenciando os evangélicos brasileiros, livros muito lidos com alto índice de rejeição, e também os que hoje estão operando uma mudança paradigmática na cultura evangélica contemporânea. Escolhi no máximo um livro por autor e procurei incluir alguma diversidade cultural e de gênero literário, bem como denominacional e teológica, sem que isso nos tirasse do projeto original: listar os quarenta livros que, nos últimos quarenta anos, fizeram a cabeça do povo evangélico brasileiro. Ordenei a lista por ordem de importância: dos livros mais influentes aos menos influentes dentre os quarenta selecionados, independentemente da data. Divirta-se concordando ou discordando, corrigindo meus equívocos e fazendo sua própria lista.

1. “Mananciais no Deserto” -- Lettie Cowman [Betânia]
Não há outro livro mais amado pelos evangélicos brasileiros. Este campeão de vendagem é um livro de leituras devocionais diárias que conquistou nosso país. O livro é, de fato, bom, mas desconfio que a tradução deu uma mãozinha.

2. “Uma Igreja com Propósitos” -- Rick Warren [Vida]
O maior “best-seller” evangélico de todos os tempos é uma catástrofe literária. É ainda difícil calcular o dano que esta obra equivocada causou e ainda irá causar, com sua filosofia de ministério inteiramente vendida ao “Zeitgeist”, propondo a homogeneização das igrejas e um pragmatismo de dar medo.

3. “A Quarta Dimensão” -- David Paul Yonggi Cho [Vida]
Este livro fez mais pelo movimento pentecostal no Brasil do que qualquer televangelista. O testemunho bem escrito do pastor coreano que vive cercado de milagres causou “frisson” até mesmo nos grupos mais conservadores. Seu modo de ver a vida com Deus e o ministério marcaram as últimas décadas.

4. “A Agonia do Grande Planeta Terra” -- Hall Lindsay [Mundo Cristão]
Calcado no pré-milenismo dispensacionalista de Scofield, este “best-seller” apocalíptico empolgou os profetas do fim do mundo no Brasil, com sua interpretação literalista imprudente e seu patriotismo norte-americano acrítico. Lindsay foi o arauto de três décadas das mais absurdas especulações escatológicas em nossas igrejas.

5. “O Ato Conjugal” -- Tim e Beverly La Haye [Betânia]
Sexo é um assunto importante, e o povo ansiava por uma orientação em face da revolução sexual dos anos 60. Daí o sucesso de um livro bem escrito como este, didático e conservador, ao gosto da moral evangélica, mas sem ser inteiramente obtuso. Mesmo assim, muitos o chamaram de pornográfico. Nada mais injusto.

6. “Este Mundo Tenebroso” -- Frank Peretti [Vida]
A ficção convence mais rápido. Revoluções acontecem inspiradas por romances, e não por tratados filosóficos. Peretti, com seu horror cristão, nos ensinou o significado da batalha espiritual nos anos 80, reencantou o submundo evangélico, inspirou pregadores e, o que não é nada ruim, motivou muitos adolescentes a ler obras de ficção bem melhores.

7. “A Morte da Razão” -- Francis Schaeffer [ABU]
A intelectualidade evangélica adotou este livro como alicerce nos anos 70, para enfrentar o existencialismo, o movimento “hippie”, o marxismo e a contracultura em geral. O livro convencia que o cristianismo não era incompatível com o estudo e a reflexão. É um pena que Schaeffer estivesse tão equivocado em suas idéias centrais.

8. “Celebração da Disciplina” -- Richard J. Foster [Vida]
Este clássico da espiritualidade cristã, escrito por um quacre, fez um tremendo sucesso no Brasil a partir dos anos 80. É excelente, mas será que todos que o compraram de fato o leram? Gostaria de perceber uma maior influência das idéias de Foster em nosso povo, mais oração, silêncio, calma, estudo, empenho, enfim, disciplina espiritual.

9. “De Dentro para Fora” -- Larry Crabb [Betânia]
Os livros devocionais evangélicos de viés psicológico ou de auto-ajuda são os títulos que mais vendem. Dentre eles, alguns se destacam não só por serem campeões de vendagem, mas porque são os melhores do gênero. Crabb é o melhor autor do gênero e este é seu melhor livro, que impactou o nosso povo nos anos 90.

10. “Louvor que Liberta” -- Merlin R. Carothers [Betânia]
Este pequeno e poderoso manifesto em forma de testemunho revolucionou, nos anos 70, o louvor e a adoração no Brasil. O bom capelão ensinou a todos nós a espiritualidade da adoração, o poder do louvor, impulsionando as guerras litúrgicas que marcariam a vida de nossas comunidades a partir de então. 

11. “Vivendo sem Máscaras” -- Charles Swindoll [Betânia]
Outro “best-seller” devocional dos anos 90, de viés psicológico e de auto-ajuda, com o vigor característico das obras de Swindoll, escritas a partir de suas pregações. Muitos se sentiram não apenas edificados, mas tocados e transformados.

12. “A Cruz e o Punhal” -- David Wilkerson [Betânia]
Outro opúsculo dos anos 70 que, na forma de um testemunho pessoal, inspirou os jovens evangélicos a uma fé mais comprometida. Curiosamente, não levou as igrejas a um investimento em missões urbanas, idéia que permeia todo o livro. Talvez o Brasil evangélico dos anos 70 não estivesse pronto para missões urbanas.

13. “Crer é Também Pensar” -- John Stott [ABU]
Stott é um ícone no Brasil, um nome respeitado pela sua erudição e sua notável produção literária, apesar de estar invariavelmente sob suspeita de heresia pelos mais neuróticos. O fato é que a qualidade de seus livros varia. Seu excelente “Ouça o Espírito, Ouça o Mundo” merece mais atenção. Já o opúsculo selecionado, tão conhecido desde os anos 70, não tem muito a dizer além do título.

14. “O Senhor do Impossível” -- Lloyd John Ogilvie [Vida]
Outro devocional que emplacou no Brasil nos anos 80, não sem méritos. É o maior sucesso do autor, ainda que inferior a “Quando Deus Pensou em Você”, que o antecedeu. O livro estimula a fé e nos faz mais esperançosos, apesar da teologia rasa.

15. “A Família do Cristão” -- Larry Christenson [Betânia]
Antes de Dobson e tantos outros, Christenson já era “best-seller” nos anos 70. Pioneiro entre os que se pretendem auxiliares da vida familiar cristã, ele foi estudado nos lares por grupos e células, em escolas dominicais etc. Sua eficácia é comprovada.

16. “O Jesus que Eu Nunca Conheci” -- Philip Yancey [Vida]
Os anos 90 assistiram ao aparecimento de um dos mais argutos e estimulantes autores evangélicos de todos os tempos: o audaz Yancey, que começou a apontar para o paradigma emergente em livros como “Alma Sobrevivente”, “Descobrindo Deus nos Lugares mais Inesperados”, “Maravilhosa Graça”, “Rumores de Outro Mundo”, “Decepcionado com Deus” e tantos outros livros excelentes. E o mais conhecido e lido parece ser mesmo “O Jesus que Eu Nunca Conheci”.

17. “O Discípulo” -- Juan Carlos Ortiz [Betânia]
Poucos livros foram tão impactantes nos anos 70 quanto esta obra que, excepcionalmente, não vinha do mundo anglo-saxão, mas da Argentina. Por isso mesmo, Ortiz tinha uma outra linguagem, um discurso que convencia os jovens brasileiros da seriedade e do valor de se tornar mais do que um mero freqüentador de igrejas, um genuíno discípulo de Cristo.

18. “Bom Dia, Espírito Santo” -- Benny Hinn [Bompastor]
O neopentecostalismo brasileiro é, em grande parte, de inspiração norte-americana. Talvez o nome mais importante nesse processo seja o do “showman” evangélico Benny Hinn, que desde os anos 90 assombra os norte-americanos pela televisão com seus feitos espetaculares. Mesmo quem não o leu conhece sua influência no Brasil. 

19. “O Refúgio Secreto” -- Corrie Ten Boom [Betânia]
O testemunho desta nobre senhora holandesa encantou também o Brasil, onde seu livro foi um grande sucesso nos anos 70. Suas aventuras durante a Segunda Guerra Mundial, sob o pano de fundo de sua educação em um lar cristão, são comoventes e inspiradoras. 

20. “A Autoridade do Crente” -- Kenneth Hagin [Infinita]
Hagin foi um divisor de águas no mundo evangélico, pois desde sua influência os crentes “tomam posse”, “determinam”, “amarram” e “exigem”. Uma nova forma de falar se fez presente, o que gerou muitas novas piadas também.

21. “Entendes o que Lês?” -- Fee e Stuart [Vida Nova]
Que bom que um livro sério como este foi tão lido e estudado no Brasil. Trata-se de um compêndio de hermenêutica bíblica sem complicações, em linguagem acessível, adotado por quase todos os seminários e estudado até mesmo nas EBD’s e pequenos grupos. Este livro fez muito pela educação bíblica dos evangélicos brasileiros.

22. “Culpa e Graça” -- Paul Tournier [ABU]
Não há, com raras exceções, psicólogo cristão que não considere este livro um fundamento e um marco do pensamento cristão. Mas ele não se limita a isso, tendo tido considerável influência na teologia evangélica brasileira nos anos 90, preparando nosso povo para o paradigma emergente do século 21. 

23. “Novos Líderes para Uma Nova Realidade” -- Caio Fábio D’Araújo Filho [Vinde]
Este opúsculo foi, se não o mais lido, certamente o mais importante dos numerosos livrinhos do pastor Caio Fábio, fenômeno de popularidade no Brasil nos anos 80 e 90, pastor midiático, influente, contundente, imitado, adorado e odiado. Caio nos ensinou a ver as coisas de outro jeito, e seu legado não vai desaparecer. 

24. “Vida Cristã Normal” (ou “Equilibrada”, na reedição) -- Watchman Nee [Editora dos Clássicos]
O controverso evangelista e autor chinês Nee teve muita influência nos anos 70 e 80, com sua visão mística do que significa ser um cristão evangélico conservador. Este livro foi seu maior sucesso, um comentário de Romanos, ainda que seu livro mais objetivo e claro seja “A Liberação do Espírito”.

25. “É Proibido” -- Ricardo Gondim [Mundo Cristão]
Gondim é um dos melhores e mais polêmicos autores evangélicos contemporâneos. Seus livros, como Eu Creio, Mas Tenho DúvidasO que os Evangélicos (Não) Falam, Orgulho de Ser Evangélico, são sempre interessantes. Nenhum, porém, foi tão influente e marcante como “É Proibido”, um verdadeiro libelo anti-legalista.

26. “Conselheiro Capaz” -- Jay Adams [Fiel]
Adams era uma pessoa muito simpática. Sua escola de aconselhamento cristão é muito antipática. Diferentemente de Crabb, por exemplo, problemas emocionais têm origem fisiológica ou pecaminosa. Por isso, é preciso confrontar as pessoas e insistir na mudança do seu comportamento. Foi um sucesso nos anos 80. Haja behaviorismo! 

27. “Quebrando Paradigmas” -- Ed René Kivitz [Abba Press]
Este livro foi decisivo para que os evangélicos brasileiros começassem a enxergar a outra margem do rio, a margem pós-evangélica do paradigma emergente. Kivitz é um autor surpreendente e notável, de mente dinâmica e arejada, que propõe importantes rupturas e renovações, como em seu outro livro “Outra Espiritualidade”.

28. “O Amor Tem Que Ser Firme” -- James Dobson [Mundo Cristão]
O conhecido “Dr. Dobson” é pensador e autor de grandes qualidades e grandes defeitos. Seus livros, como “Educando Crianças Geniosas”, ajudam famílias e promovem uma espécie de teologia aplicada que merece atenção. Há, porém, muito que não se deveria levar a sério, já que vai contra o que há de mais consagrado na psicologia moderna.

29. “Supercrentes” -- Paulo Romeiro [Mundo Cristão]
O autor de “A Crise Evangélica” tem talento e tem algo a dizer. Seus textos, especialmente o famosos “Supercrentes”, têm apontado para os exageros e enganos de muitas posturas comuns no meio evangélico contemporâneo.

30. “Cristianismo e Política” -- Robinson Cavalcanti [Ultimato]
Trata-se de um clássico. Este livro está nas origens de toda reflexão política evangélica. Robinson é importante por outras questões, como seus livros sobre sexualidade (“Uma Bênção Chamada Sexo”, “Sexualidade e Libertação”), mas sua contribuição permanente é o estímulo que deu à reflexão política evangélica.

31. “O Evangelho Maltrapilho” -- Brennan Manning [Mundo Cristão]
Não há outro autor mais importante no meio evangélico nos últimos dez anos do que Brennan Manning. Seus livros devocionais, como “O Impostor que Vive em Mim”, “A Assinatura de Jesus”, “O Obstinado Amor de Deus”, estão transformando radicalmente a maneira como os evangélicos entendem a vida cristã. Eu fico muito grato.

32. “O Pastor Desnecessário” -- Eugene Peterson [Mundo Cristão]
Peterson é muito estimado no meio evangélico brasileiro e um dos autores mais bem avaliados dos últimos tempos. Responsável por projetos como “The Message” (excelente paráfrase bíblica), tem nos galardoado com obras como “Corra com os Cavalos”, “A Oração que Deus Ouve”, “A Vocação Espiritual do Pastor”, “Transpondo Muralhas”, entre outros. Selecionei o que talvez seja o mais importante.

33. “Poder Através da Oração” -- E. M. Bounds [Batista Regular]
Nos anos 70, quando não havia ainda bons livros sobre oração, como o de Richard Foster ou o de Eugene Peterson, os livros de Bounds sobre oração circulavam de mão em mão, trazendo avivamento às igrejas. Hoje Bounds está quase esquecido. Quase.

34. “Cristo é o Senhor” -- Dionísio Pape [ABU]
No fim dos anos 60 e começo dos anos 70, o nome de Pape se destacava pela espiritualidade, profundidade e sucesso ministerial. Seu opúsculo “Cristo é o Senhor” levou muitos à consagração e ao ministério. 

35. “O Caminho do Coração” -- Ricardo Barbosa [Encontro]
Barbosa (junto com Osmar Ludovico, James Houston e outros) é responsável pelo retorno ao interesse pela mística cristã em nosso país. Seus livros nos ensinam uma outra atitude não somente em relação à vida, mas também em relação à teologia. Uma atitude contemplativa. 

36. “O Novo Testamento Interpretado” -- R. N. Champlin [Hagnos]
Não privilegiei obras teológicas e comentários bíblicos nesta lista porque tais livros, em geral, não vendem bem e sua influência é pequena. Uma exceção precisava ser feita em relação ao favorito das bibliotecas. O empenho exaustivo de Champlin precisava ser lembrado, pois ainda vende bem e é o comentário primordial dos evangélicos.

37. “Icabode” -- Rubem Martins Amorese [Ultimato]
Este livro pode não ter sido tão lido quanto é citado, mas definiu um novo tipo de reflexão cristã no Brasil, que propõe diálogo com a cultura em outro nível que não o da evangelização, e sim o da discussão de valores e princípios que podem levar nossa sociedade para um patamar melhor ou pior. É uma boa influência.

38. “A Bíblia e o Futuro” -- Anthony Hoekema [Cultura Cristã]
Este estudo do Apocalipse cresceu em importância no Brasil em uma época em que quase não havia obra que fizesse uma defesa do amilenismo, apesar dos pouco conhecidos esforços de Harald Schally. O livro provocou conversões em massa a partir dos anos 80, e a escatologia nunca mais foi a mesma no Brasil.

39. “Cristianismo Puro e Simples” -- C. S. Lewis [Martins Fontes]
Também conhecido como “Mero Cristianismo”, a busca de Lewis pelo denominador comum da fé cristã impacta brasileiros desde os anos 70. Seleciono o livro simbolicamente, já que Lewis não poderia ficar de fora, seja por causa de “Os Quatro Amores”, “Milagres”, “Cartas do Inferno” ou “As Crônicas de Nárnia”.

40. “A Mensagem Secreta de Jesus” -- Brian D. McLaren [Thomas Nelson]
Em 2007 o leitor evangélico brasileiro foi surpreendido por este livro do mesmo autor de “Uma Ortodoxia Generosa”. Fiquei admirado ao ver como todos passaram a conhecer e a comentar a obra de McLaren, que representa melhor do que ninguém o paradigma teológico evangélico emergente. Não dá pra não ler.